Parceira: Agência Parceira RGB Comunicação

12/07/2017

Estudo feito por Universidade da Austrália encontrou resultados parecidos em 2 países  

Da redação, com Porter Novelli Assessoria de Comunicação

Foto: Divulgação

Um estudo da Universidade da Austrália Ocidental (University of Western Australia) revelou que as pessoas que têm animais de estimação em casa se relacionam melhor com seus vizinhos. A pesquisa, feita em colaboração com o Centro de Nutrição Animal WALTHAM, da Mars Petcare, situado em Leicestershire, Inglaterra, apontou que os donos de pet são mais abertos às relações com a comunidade.

"A noção de que os animais de estimação facilitam o relacionamento vai além do papel geralmente investigado deles serem um 'quebra-gelo' entre as pessoas", afirma Lisa Wood, da Escola de População e Saúde Global da universidade e líder da pesquisa. "Estávamos interessados em saber até que ponto os pets facilitam as interações sociais e criam os laços que mantêm as comunidades unidas".

O estudo foi publicado na revista SSM-Population Health e feito com mais de 2.500 donos ou não de animais de estimação em três cidades dos Estados Unidos (San Diego, Portland e Nashville) e uma australiana (Perth). Foram avaliados aspectos de vínculo afetivo com vizinhos, como ajuda, amizade e confiança.

Inédito

Foi a primeira vez que uma pesquisa científica analisou efeitos da socialização através dos animais de estimação em dois países diferentes. A conclusão foi que ser tutor de um pet está associado a uma maior predisposição para interação, em comparação com as pessoas que não têm bichos. Nas quatro cidades pesquisadas, o resultado foi parecido.

"As associações mais fortes observadas para aqueles que passeiam com o cachorro podem estar relacionadas com o papel da atividade ser uma maneira de aumentar a vigilância da vizinhança e as percepções de segurança dentro de uma comunidade", explica Lisa. "Em geral, os animais de estimação ajudam nos primeiros encontros entre vizinhos e, frequentemente, são assuntos para conversas".

De acordo com Sandra McCune, líder científica da Interação Humana-Animal de WALTHAM, “ser dono de um animal de estimação traz benefícios sociais e de saúde e há uma tendência crescente para que o impacto disso seja levado a sério”.

Ela emenda dizendo que o estudo acrescenta apoio a esta agenda e para o estabelecimento de cidades, municípios e acomodações petfriendly. “A disponibilidade de parques e espaços abertos adequados para passear é essencial para o bem-estar dos animais e para que as pessoas experimentem por completo os benefícios de ser tutor de um.”