Parceira: Agência Parceira RGB Comunicação

24/01/2017

Estudo da Link AKC apontou importância deles para melhora dos estados físico e mental

Da redação, com agências de notícias

Foto: Banco de imagens

Uma pesquisa feita pela Link AKC, empresa da qual o American Kennel Club, um dos maiores clubes de registro de cães com sangue puro dos Estados Unidos, é investidor, revelou comportamentos das pessoas em relação a seus cachorros de estimação.

O estudo foi feito com 2 mil donos de cães.

Entre os resultados apurados, estão:

- 82% dos entrevistados disseram que sua saúde mental melhorou graças aos cachorros;  

- Já 68% tiveram melhora da saúde física;

- 62% declararam que saem para caminhar por causa dos animais e que esse é um dos motivos da melhora da saúde física;

- 81% conversam com seus cães com frequência;

- 63% fazem a seus cães confidências que não fariam a mais ninguém;

- 78% tomam decisões de vida levando em consideração as necessidades do animal de estimação.

Para Herbie Calves, representante da Link AKC, os benefícios físicos de ter um cachorro são os primeiros que vêm à mente, mas os emocionais também são bastante impactantes. “As pessoas consideram seus cães membros de sua família e estão procurando maneiras de se conectar e interagir com eles em um nível mais profundo.”

Conexão

Uma outra pesquisa, da Universidade Azabu, do Japão, publicada no ano passado, já havia demonstrado a forte ligação dos donos com seus cachorros. O estudo apontou que quando animal e proprietário se olham há elevação dos níveis de ocitocina, hormônio ligado às condutas materna e paterna, no cérebro humano. Ou seja, o relacionamento com um cachorro é parecido com o estabelecido com um filho.

“O mesmo mecanismo de conexão, baseado no aumento da ocitocina ao se olharem, que fortalece os laços emocionais entre mães e seus filhos, ajuda a regular também o vínculo entre os cachorros e seus donos”, concluiu a pesquisa.