Parceira: Agência Parceira RGB Comunicação

08/09/2017

Profissional, cujo dia é comemorado neste sábado, é valorizado como fonte de informação

Com informações assessoria imprensa Mars

Foto: Banco de imagens

Uma pesquisa encomendada ao Ibope Inteligência pela Mars Brasil, líder nacional no mercado de alimentação para cães e gatos, sobre a percepção que os brasileiros têm sobre os médicos veterinários – cujo dia será comemorado neste sábado, 9 de setembro –, apontou que o profissional é a principal fonte de informação para os donos ou responsáveis por cães e gatos.

Entre os motivos para que os tutores levem seus animais a clínicas, estão consulta de rotina e vacinação (79% para cães e 76% para gatos), aparecimento de doenças (26% para cães e 19% para gatos), higiene (17% para cães e 15% para gatos) e emergência (9% para cães e 12% para gatos).

Outros dados demonstram que a frequência de ida ao veterinário é maior entre os donos de cães do que os de gatos: 2,8 vezes por ano contra 2,3, em média.

Cães

A maioria dos tutores de cães (51%) é homem, casado, têm, em média, 41 anos e 93% moram com mais de uma pessoa. 82% estão nas classes AB (na classe A, são 24%), 59% moram em casas e 24% adotaram seus cães, sendo 59% deles sem raça definida. 68% acreditam que os cães trazem conforto emocional e 44% os veem como filhos, sendo que a maioria desses respondentes é de mulheres solteiras com até 40 anos.

A alimentação manufaturada foi apontada como a melhor opção para os cães, já que 95% dos donos optam por alimentos secos.

Gatos

Sobre os gatos, o estudo mostra que 61% dos tutores são mulheres, têm, em média, 40 anos e 62% moram em casas. 48% acreditam que os felinos entendem o humor dos tutores e 45% veem seus gatos como filhos, sendo que a maioria desses respondentes também é de mulheres solteiras com até 40 anos.

Para esses entrevistados, os gatos são mais independentes, menos carentes e não precisam tomar banho com frequência. A alimentação manufaturada também foi apontada como a melhor, pois o índice dos que optam pelos alimentos secos é de 94%.

Curiosidades

A pesquisa revelou, ainda, como os brasileiros enxergam outras questões. Em outras palavras, é assim que a maioria dos entrevistados pensa:  

- Animais de raças precisam visitar mais as clínicas, por causa do risco maior de doenças em relação aos vira-latas;

- A percepção de que ter gatos é mais barato se deve à maior resistência a doenças em relação aos cães;

- Pets adotados precisam mais do serviço veterinário por motivos de emergência;

- Cães e gatos sem raça definida não ficam doentes e, por isso, não precisam ir ao veterinário com frequência;

- Pets que ficam e dormem dentro de casa têm frequência maior de ida a clínicas, em relação aos que vivem fora;

- Se o acesso ao veterinário fosse mais barato, 42% dos que não possuem pets tomariam a decisão de ter um;

- 51% dos tutores de cães e 52% dos de gatos buscam informações com o veterinário sobre a ração mais adequada a seus animais.