Parceira: Agência Parceira RGB Comunicação
Festa em Lago Municipal de Jaboticabal terá apenas efeitos visuais Festa em Lago Municipal de Jaboticabal terá apenas efeitos visuais

31/12/2017

Outras cidades do País adotam medida para evitar incômodo a idosos, doentes e animais

Da redação

Foto: Divulgação

A virada do ano no Lago Municipal em Jaboticabal-SP, não terá, dessa vez, o uso de rojões. E, se depender do que o prefeito, José Carlos Hori, tem declarado à imprensa, nem pelos próximos três anos. Segundo ele, a prefeitura decidiu atender a um apelo de entidades protetoras de animais. Manteve a comemoração, mas sem fogos barulhentos, visando, também, evitar riscos para as crianças. Apenas efeitos visuais marcarão a passagem de 2017 para 2018.

Jaboticabal é a primeira cidade da macrorregião de Ribeirão Preto a suspender os rojões. Ainda segundo Hori, um projeto de lei deve ser encaminhado à Câmara em 2018 para regulamentar a iniciativa. Em postagem numa rede social, o prefeito afirmou que a decisão representa economia aos cofres públicos e prioriza os encontros familiares.

Mudança

Ainda no Estado de São Paulo, outros locais tomaram atitudes parecidas. Em Matão, a prefeitura informou que o Show da Virada, na Praça Alfredo de Paiva Garcia, está garantido, mas sem queima de fogos, em respeito a idosos, doentes, crianças e animais de estimação.

Em Campos do Jordão, que recebe muitos turistas nesta época, a virada será somente com cores e brilhos. O espetáculo de fogos, previsto para durar 12 minutos, será silencioso. Uma lei sancionada agora em 2017 proíbe a venda de artifícios barulhentos. Em caso de desobediência, pessoas físicas podem ser multadas em R$ 952,66 e empresas em R$ 2.256,30.

Outras que terão apenas efeitos visuais são Ubatuba e Ilhabela, no litoral Norte. Em Santos, no litoral Sul, uma lei foi aprovada no início do ano contra os rojões, mas, em maio, uma liminar obtida por indústrias fabricantes manteve o uso deles.   

Nas proximidades de Caçapava, o tradicional réveillon da família de Maurício de Sousa, criador da Turma da Mônica, numa chácara, também teve a apresentação com fogos suspensa. Sousa declarou que foi levado em consideração o respeito a animais domésticos e silvestres que sofrem com a prática.

Minas Gerais

Em Minas, a suspensão da queima de fogos inclui Alfenas e Estiva. Na primeira, a prefeitura comunicou que atendeu pedidos de ONGs envolvidas com a causa animal. Já na outra, a administração municipal afirmou que a medida vai gerar dois benefícios: economia de recursos e bem-estar às famílias.

No Paraná, Ponta Grossa anunciou que terá queima silenciosa.   

Aos interessados em apoiar medidas que buscam abolir o uso de fogos de artifício nas viradas de ano, o site do Senado abriu, recentemente, uma ideia legislativa que pode receber apoios e, com isso, servir de base para proibir o uso de fogos barulhentos em todo o país.

O endereço é: https://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaoideia?id=96952&voto=favor