Parceira: Agência Parceira RGB Comunicação

1º/10/2018

12 equipes nacionais irão participar do evento, que será de 4 a 7 de outubro, na Suécia

Com informações da assessoria de imprensa

Imagem: Divulgação

Com ótimos resultados em anos anteriores, a equipe brasileira de Agility vem treinando com muito afinco e dedicação para repetir o desempenho na 23ª edição do evento de maior prestígio para os entusiastas do esporte Agility, o Campeonato Mundial de Agility da FCI – Fédération Cynologique Internationale, que será realizado de 4 a 7 de outubro, na cidade Kristianstad, na Suécia.

Vindos de mais de 40 países, os melhores cães e condutores do mundo irão competir para o título de Campeão Mundial de Agility da FCI por times e por equipes. O evento terá transmissão ao vivo via internet.

As 12 duplas que representam o Brasil  são divididas entre os estados de São Paulo, Pernambuco e Paraná. Na categoria mini, participarão: Leandro Gandini e Apple (Parson Russell Terrier) – SP; Audrei Fernandes e Theo (Pincher) – SP; Ana Cecilia Rocha e Sookie (Papillon) – PR; e JL Lage-Marques e Tiss (Pastor de Shetland) – SP.

Na seção de tamanho médio, os participantes são: José Luiz e Bina (Border Collie) – SP; Felipe Minet e Corah (Mudi) – PR; Vivyane Specian e Jem (Pastor de Shetland) – SP; e Marcela Françoso e Finwe (Pastor dos Pirineus) – SP.

Na última categoria estarão: Alexandre Borges e Eva (Border Collie) – PE;

Marcela Checchia e Angel (Border Collie) – SP; Moabe Ordonio e Rayva (Border Collie) – PE; e Ricardo Tubaldini e Flora (Border Collie) – SP.

Inspirado nos circuitos de hipismo, o agility é uma atividade física de agilidade que o cão faz ao lado de seu condutor e traz muitos benefícios ao animal.

O condutor deve orientar seu cão, sem guia ou coleira, sem tocá-lo e sem a utilização de brinquedos ou comida (usando apenas gestos e comandos verbais), em um percurso com vários obstáculos, seguindo regras específicas em cada um deles.

Qualquer pessoa, seja ela criança, adulto ou idoso, e qualquer cão, seja ou não de raça, podem praticar o agility, desde que suas condições de saúde assim os permitam.

O objetivo é terminar o percurso sem cometer infrações e no menor tempo possível, tornando o agility uma prova de habilidade, em que a velocidade é critério decisivo de desempate. É o esporte canino que mais cresce no mundo todo.

Os obstáculos são compostos por: saltos em altura e à distância, muro, passarela, rampa 'A', gangorra, túneis, pneu e slalom e são dispostos em distâncias que variam de 5 a 7 metros, numerados de acordo com a sequência que devem ser abordados.

Nas provas oficiais de agility, os condutores conhecem o percurso definido pelo juiz da prova, pouco antes da competição, porém há um tempo (sete minutos no Brasil) para que façam o reconhecimento da pista, sem o cão, e montem suas estratégias de condução, que varia de condutor para condutor ou, até mesmo, de dupla para dupla. Assim, um mesmo condutor pode ter estratégias diferentes para cães diferentes.

A competição, ainda, é dividida em graus de dificuldade: Iniciantes/Veteranos e Graus I, II e III.

Categorias Oficiais

Os cães são distribuídos em categorias de acordo com seu tamanho: mini, midi e standard.

Mini, que abrange cães com até 34,99 cm de altura da cernelha (altura que vai da pata dianteira até o osso do "pescoço" do cão);

Midi, que inclui animais com 35 cm a 42,99 cm de altura da cernelha;

Standard, para cães que tenham a partir de 43 cm de altura da cernelha.

Essas medidas são fundamentais para que se determinem a altura e as distâncias dos obstáculos, garantido o melhor desempenho do cão, sem sobrecarga da musculatura e da estrutura óssea do animal.

Para a categoria iniciante, os percursos deverão ter no máximo 18 obstáculos e um mínimo de 14 a serem transpostos. Já para as categorias oficias (G1, G2 e G3), as provas devem ter um número mínimo de 18 obstáculos e no máximo de 22, sendo sete deles obstáculos de salto.

Agility no Brasil

A cada ano aumenta o número de pessoas que se apaixonam pelo esporte.  No Brasil, são 61 centros de treinamentos distribuídos em vários estados. Hoje, aproximadamente 200 duplas participam dos campeonatos. Para a 23ª edição Campeonato Mundial de Agility 2018, na Suécia, serão 12 duplas que representarão o Brasil. O Brasil participa do Campeonato Mundial de Agility desde 1999, conquistando sempre bons resultados.

Resultados obtidos pela Seleção Brasileira de Agility no Campeonato Mundial FCI

▸ Campeão Mundial Standard por equipes em 2002

▸ 3º Lugar Midi por equipes em 2007

▸ Campeão Mundial Standard por equipes em 2008

▸ Campeão Mundial Mini por equipes em 2008

▸ 3º Lugar Midi por equipes em 2014

▸ 3º Lugar Mini Individual em 2015

Benefícios para o cachorro e para o dono

Essa prática esportiva proporciona grande interação e bem-estar entre o animal e seu dono. É o esporte canino que mais cresce no mundo todo.

 

Serviço:

23º Campeonato Mundial da FCI 2018

Data: 4 a 7 de outubro

Local: Arena de Kristianstad, Suécia