Parceira: Agência Parceira RGB Comunicação

20/01/2017

Para sabermos como funcionam os shampoos, devemos entender quais seus conceitos, finalidade e propriedade

Os shampoos para problemas de pele e os de embelezamento ocupam grande parte das prateleiras e dos negócios da cadeia comercial pet. Sendo assim, há uma necessidade fundamental de sabermos como, quando e para que devemos utilizá-los, uma vez que é assunto de conhecimento dos profissionais de banho e tosa e veterinários – ressalte-se, também, dos consumidores que desejam saber as peculiaridades antes da compra, para oferecer o melhor carinho, embelezamento, cheiro e proteção à pele do seu bichinho, pois ela é a primeira barreira de defesa do organismo e deve estar sempre saudável.

Para sabermos como funcionam os shampoos, devemos entender quais seus conceitos, finalidade e propriedade. Os shampoos são preparações cosméticas que promovem a limpeza dos pelos e da pele, removendo a oleosidade, células epidérmicas (da primeira camada pele), resíduos cosméticos e sujidades ambientais. Atuam como coadjuvantes em protocolos terapêuticos. Têm como propriedade pH ligeiramente ácido ou neutro, detergência, ser não irritante, inócuo (que não faça mal) e ter boa solubilidade.

Há no mercado shampoos com finalidade de primeira limpeza para retirada da camada mais grossa de sujeira e eliminação de odores mais fortes. Após esse primeiro banho, deve ser realizado outro, com shampoos determinados que podem ser para peles sensíveis, pelos claros, pelos dourados, pelos escuros, neutros ou para filhotes. O banho pode ser também realizado com apenas um único tipo de shampoo. Todos estes indicados para idade superior a 3 meses de vida, uma vez que até essa data os animais precisarão ficar sem o banho devido ao fato de ainda estarem com a imunidade baixa, recebendo as primeiras vacinas e não podendo realizar passeios e serem colocados no chão em certos locais. Os filhotes acima desta idade deverão receber banho preferencialmente com shampoos com esta propriedade até atingirem a fase adulta.

Em casos mais especiais, onde deva existir um cuidado mais apurado em relação ao tipo de raça e pelo dos animais, existem shampoos específicos, que se destinam a auxiliar os tosadores em certas raças, como os Spitz, Poodles, entre outros, deixando os pelos mais altos e com efeitos diferenciados.

O shampoo pode vir pronto para uso ou para ser diluído com água. Há também a opção de realizar banhos a seco com produtos na forma de spray, que realizam secagem imediata e que conferem um cheiro mais do que especial.

A gama de procedimentos estéticos com os shampoos é muito vasta, pois, acredite, eles podem realizar ação de tonalizantes para realçar a cor dos pelos, conferindo beleza e brilho, possuindo apresentação tanto nas cores preta, branca e dourada. Todavia, esse procedimento exige realização por profissionais qualificados, uma vez que, em casa, poderá ser aplicado de forma errônea.

Ressaltemos os casos dos Shih-tzus ou Lhasa Apsos, que apresentam duplicidade ou mais de cores em seus pelos. O procedimento poderá ser feito, por exemplo, se tiverem pelagem branca misturada com preta, mas, nestes casos, aumenta-se em muito o cuidado no procedimento para não manchar a pelagem do animal. Além do que há a necessidade de verificação prévia e posterior pelo médico veterinário e proprietário de que o animal não é alérgico ao produto. Lembrando que as alergias (atopias) podem ocorrer por qualquer componente da fórmula de qualquer produto. Daí a necessidade desse acompanhamento. Também há shampoos que apresentam iluminadores ópticos. Quando o animal for exposto ao sol, haverá um feixe luminoso no seu pelo, destacando a beleza do mesmo.

Outros tipos

Destacamos, também: Shampoos com princípios hidratantes, que reparam, acalmam a pele e conduzem a água do banho para a pele. São os que têm compostos de aminoácidos do leite, extrato de germe de trigo, vitaminas, ureia, aveia coloidal, entre outros. Os fixadores, que são representados pelas substâncias umectantes, retendo água nas camadas mais profundas da derme. Os formadores de filmes, que formam um filme contínuo, não oclusivo, que impede a perda da água contida na derme, formando uma película de gordura na camada da pele mesmo após o banho, retendo água. Os emolientes, que deixam a pele hidratada - são exemplos: óleo de semente de uva, amêndoas, manteiga de Karité, etc. Os restauradores de barreira cutânea, que ajudam a grudar uma célula na outra, fazendo restauração, impedindo a entrada de substâncias irritantes e agentes infecciosos – exemplos: ceramidas e ômegas 3, 6 e 9. Existem, ainda, os shampoos com moléculas reparadoras (efeitos cosméticos – com vitaminas), que restauram a pele e o fio, devendo ser utilizados em animais que tomam banho toda semana. E os shampoos com efeitos hidratantes, emolientes e umectantes, que, além de hidratar tem efeito anti-inflamatório e são antipruriginosos.

Os shampoos terapêuticos são os hidratantes, queratomoduladores, antisseborreicos, antifúngicos, antipruriginosos, adstringentes e antissépticos (antibióticos e antifúngicos). Alguns apresentam liberação gradual dos princípios ativos. Para entendê-los, os veterinários devem sempre prescrevê-los de acordo com cada caso, pois grande parte das consultas por dia realizadas será de problemas dermatológicos.

Os condicionadores têm a função de restaurar a pele e o pelo, realizando a hidratação da camada lipídica da pele, podendo ser utilizados também com o princípio terapêutico. Eliminam as cargas eletrostáticas, formando um filme lubrificante nos fios, facilitando o penteado, o brilho e reduzindo a fragilidade. Em sua composição, há matérias graxas, silicones, proteínas hidrolisadas e ceramidas.

Já as máscaras de hidratação são produtos de revolucionário avanço no cuidado de reparação da pele e dos fios, pois são multifuncionais, proporcionando hidratação profunda e intensa, reconstrução, texturização, queratinização, nutrição, além de conferir brilho. Podem ser encontradas nas mais diversas apresentações e aromas, realizando relaxamento nos pelos quando há necessidade de um alisamento/hidratação ou no caso de necessidade de aumento do pelo/hidratação; também apresentando diversas composições. Como exemplo, podemos citar argan, ceramidas, queratina, extratos amazônicos e muitas outras.

Perfumes

Os perfumes para pets têm os mais variados tipos de cheiros e ocupam destaques nas prateleiras dos centros de venda há cerca de 30 anos. Estes produtos foram formando parte do “processo de humanização” de muitos pets que convivem com pessoas no âmbito urbano. Os preços dos perfumes e colônias caninas são muito variados, estabelecidos de acordo com o fabricante, quantidade e marca.

No que tange à utilização dos perfumes nos animais, as preocupações são geralmente comuns em face do receio do produto ser forte demais: se poderá causar alergias e quanto tempo durará no animal. Nestes casos, há três opiniões de especialistas a respeito: os que defendem que o pet deva sentir seu cheiro natural, os que defendem a utilização dos perfumes sem álcool e outros que possuam álcool na composição.

Os perfumes sem álcool são indicados quando os proprietários não desejam um cheiro mais apurado. Nestes casos, basta que façam reaplicações de 3 em 3 dias. Os perfumes que contêm álcool na formulação são excelentes opções também. Indicam aplicações menores e geralmente duram uma semana ou mais. Em ambos os casos, vale o lembrete de verificação se o pet não é sensível aos componentes da fórmula. O perfume não é nenhuma necessidade para o cão, mas sim uma questão de gosto de seus donos, de que o animal cheire bem.

Em relação à utilização, deve-se evitar, a todo momento, o contato com o nariz, os olhos e a genitália do animal, assim como as áreas sem pelos. O mais correto é depois do banho, porque, com a pelagem limpa, os efeitos do perfume são mais duradouros. Não é positivo o uso diário. As fragrâncias podem ter cheiros dos mais variados possíveis, como talco de bebê, extratos amazônicos, chocolate, hibisco, flor de Lótus, morango, bem como de marcas famosas presentes na linha humana.

O banho do animal, portanto, deve ser um procedimento com cuidados específicos, sendo não só um carinho e cuidado com a saúde do seu bichinho, mas também um procedimento com responsabilidade, devido ao fato de que alguns produtos, se não aplicados ou escolhidos corretamente, podem afetar a pele, pelo e conferir alergias (tanto aos olhos quanto à pele).

Atente-se ao fato de, quando for levar seu pet a um Banho e Tosa, verificar se os profissionais são qualificados para a realização do procedimento e quais os produtos utilizados. Assim, seu pet terá a melhor sensação de bem-estar e carinho.

 

Rita de Cássia Silva Godoy

Médica veterinária graduada pela FAMED, de Garça-SP

 

*Artigos assinados são de responsabilidade de seus autores e não refletem, necessariamente, a opinião da Planeta Pet